OS SÍMBOLOS DA PÁSCOA E SEUS SIGNIFICADOS

O que nos resta hoje quando se fala em Páscoa é apenas um sentido de guloseima e meio de comércio desprovido de qualquer significado.  Pois bem, Páscoa é o dia em que Cristo Ressuscitou. É o dia em que Ele venceu a morte, o pecado e nos deu de presente a vida nova, a vida eterna.

1.CARTÕES DE PÁSCOA

Na Páscoa enviamos cartões aos amigos, parentes. Mas para que? Que significa isso? Desejar a alguém Feliz Páscoa é querer que ele tenha da parte de Jesus Ressuscitado muita ajuda para se libertar do pecado; do egoísmo; da falta de amor e de todas as dificuldades que tiver. É desejar também que esta pessoa cresça na fé e no amor de Jesus.

2.CHRISTOS

È um símbolo figurativo que vem dos cristãos. Traduz a Ressurreição.

3. CEIA

È o símbolo do banquete Eterno. A Ceia de Páscoa quer significar que Jesus venceu a morte, venceu também todo o mal, o pecado, que Ele morreu e ressuscitou por amor. Significa que a nossa verdadeira vida é Cristo, a Eucaristia. Pois Jesus substituiu o cordeirinho por Ele mesmo. A Ceia hoje é chamada Santa Missa. A Eucaristia exprime a unidade e a solidariedade da família de Deus que se alimenta com o mesmo Pão.

È também, o momento em que a família se reúne. Ela é no seio da família, uma expressão de júbilo, pelo grande acontecimento de caráter religioso. Costuma se colocar no centro da mesa, uma vela acesa para simbolizar o Cristo que nos une em volta de Si e que é a nossa Luz.

4. CRUZ DA RESSURREIÇÃO

Jesus, tendo sido pregado na Cruz, derramou Seu Sangue e entregou ali, Sua Vida. E assim Ele livrou todos os homens da escravidão do pecado e abriu-nos a porta do Céu. A Cruz traduz sofrimento e ressurreição para uma vida melhor. “Através da Cruz, nos salvaremos!”.

5. BALAS E BOMBONS

Simboliza a doçura das Palavras divinas, a doçura de participar de Sua Igreja, vivendo Sua Palavra: Jesus Cristo.

                                  A BÍBLIA

A Luz de Cristo não se extingue, as mesmas palavras que saíam da boca do Senhor foram escritas, guardadas e conservadas para nós. Por quantas mãos diversas passou essa luz! “O céu e a terra passarão, mas as Minhas palavras não passarão” (Lucas 21,33)... As palavras de Jesus são eternas, pois deram-nos a conhecer a intimidade do Pai e o caminho que devíamos seguir para chegar até Ele. Toda a Escritura anterior a Cristo adquire o seu sentido exato à luz da figura e da pregação do Senhor. Cristo “abriu-lhes o entendimento para que compreendessem as Escrituras (Lucas 24,45)”. A Igreja sempre recomendou a leitura e a meditação dos textos Sagrados, principalmente do Novo Testamento, em cujas passagens encontramos sempre Cristo que vem ao nosso encontro. Seria difícil amar a Cristo, conhecê-Lo de verdade, se não lêssemos o Evangelho – A Palavra de Deus. “Nos Livros Sagrados, com efeito, o Pai que está nos céus vem carinhosamente ao encontro dos seus filhos para conversar com eles. E é tão grande o poder e a eficácia que se encerra na Palavra de Deus, que ela constitui sustentáculo e vigor para a Igreja, e, para os seus filhos, firmeza da fé, alimento da alma, pura e perene fonte de vida espiritual” (Const. Dei Verbum-Conc. Vat. II).

6.PÃO CELESTE

Uma espécie de hóstia, feita de trigo, sem fermento, cuja forma e cor podem variar. Feita e abençoada especialmente para este fim. É usado na hora da Ceia. O pai da família quebra e reparte a hóstia entre os presentes. A seguir desejam a paz e a alegria de Cristo mutuamente uns aos outros, condividindo a sua parte da hóstia com todos; enquanto isso, cada qual come a parte que recebe dos outros. Este rito tão simples relembra a festa bíblica da libertação. Exprime a unidade e solidariedade da família que se alimenta com o mesmo pão em meio a votos de felicidade.

7.VESTES BRANCAS

Símbolo da alegria e da paz. Representam a alegria da Ressurreição.

8.PRESENTE DE PÁSCOA

O presente máximo, é o Dom de Cristo de passarmos da morte para a Vida nova e definitiva, a Vida da Graça... A Vida Eterna.

9.SINOS

O seu repicar festivo, convida a todos para louvarem a Cristo nossa Páscoa, nossa vida. Os sinos badalam alegremente anunciando: ALELUIA! Para que se espalhe forte e penetrante por todos os ares o anúncio da Ressurreição de Jesus, da Aliança nova e plena de Deus com a humanidade. Os sinos falam da alegria que devemos ter durante toda a nossa vida porque temos um Salvador que muito nos ama e que diariamente nos ajuda a chegar ao Céu.

10. O PEIXE E OS PEIXINHOS

Os cristãos facilmente chegaram a fazer do peixe um símbolo de Jesus. E, assim, nas toalhas, nos túmulos, nas portas, nas roupas (sobretudo na época da perseguição dos cristãos), eles colocavam a figura do peixe ou de um cestinho de pão e peixe. Cristo é o Grande Peixe e nós somos os peixinhos de Cristo. O peixe lembra o milagre da multiplicação dos pães – alimento que vem de Deus. Lembra-nos também a pesca milagrosa e o peixe assado que Jesus Cristo Ressuscitado preparou para os apóstolos e quando Se fez reconhecer por eles. Assim o peixe é o símbolo da Eucaristia. É um dos mais antigos símbolos do cristianismo. Os primeiros cristãos, que eram obrigados a esconder a sua fé, devido às tremendas perseguições, reconheciam-se pelo sinal do peixe. A palavra peixe em língua grega é IXTIS. Cada letra desta palavra juntas formam a seguinte frase: JESUS CRISTO FILHO DE DEUS SALVADOR. Nós cristãos, ainda podemos descobrir outros significados no simbolismo do peixe. Por exemplo: o peixe fora da água morre; fora da água do Batismo estamos mortos para a vida da graça.

11. O TRIGO E A UVA

Jesus Cristo ritualizou Sua Páscoa na Ceia ou Missa, dentro do simbolismo e utilizando-se dos elementos da Antiga Páscoa Judaica. Cristo serviu-se do Pão sem fermento e vinho de uva. Usou-os para formar o ritual da Nova Ceia: a Santa Missa. O trigo e a uva são símbolos eucarísticos. Do trigo se faz pão, da uva se faz vinho. Cristo usou o pão e o vinho na última Ceia para Se deixar em alimento aos seus em prova do Seu amor por nós. “Jesus tomou o pão, abençoou-o, partiu-O e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai e comei, isto é o Meu Corpo. Tomou, depois, o cálice com vinho, rendeu graças e deu-Lho, dizendo: Bebei dele todos, pois este é o Meu Sangue da Nova e Eterna Aliança, derramado por muitos, para o perdão dos pecados”. (Mateus 26,26-28). Jesus abençoou o pão e deu-O como Seu “Corpo”. Depois, abençoou o vinho e deu-O como Seu “sangue”. Ao abençoar e dar graças, Jesus realizou o milagre da “transubstanciação”. Cristo mudou a substância do pão e vinho em substância, mas que passaram a ser Sua Carne e Seu Sangue. Permaneceu a forma, o sabor, a cor do pão e do vinho, mas a substância foi transformada com Suas palavras em Seu Corpo e Sangue. A Transubstanciação é um verdadeiro Milagre. Na Ceia, Cristo realizou a primeira transubstanciação, e deu ordens para que fosse repetida sempre, em cada Missa: “Todas as vezes que fizerdes isto fazei-o em memória de Mim”. Em cada Santa Missa, na hora da consagração, realiza-se uma nova transubstanciação. Em cada Missa, Cristo atuando na pessoa do Sacerdote, transforma o pão e o vinho em Seu Corpo e Sangue. É na Consagração, portanto, que ao realizar-se a transubstanciação, o Cristo vítima, se torna presente sobre o Altar.

12. CÍRIO PASCAL

É uma vela grande de cera branca que simboliza o Cristo Ressuscitado, o Corpo Glorioso. No Círio Pascal encontramos o Alfa e o Ômega que simbolizam: Cristo é o Princípio e o Fim; é Ele quem preside à grande Ceia das Bodas Núpciais, quem recebe a Esposa, quem purifica com o Seu Sangue os bem-aventurados; e que Ele é o Único que pode abrir o Livro dos Sete Selos. Os Cinco grãos de incenso simbolizam as Cinco Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os números representam o ano em que está sendo realizada a celebração. O Círio acesso simboliza a presença de Cristo como Luz do mundo. A humanidade caminhou nas trevas até que a Luz brilhou na terra. A chama é a chama da fé que Cristo acende nos corações dos fiéis. Sem esta chama, os homens caminham às escuras e por isso tropeçam e caem. E a fé que Cristo nos comunica é luz sobrenatural às inteligências que não querem continuar a permanecer na escuridão da ignorância e do erro, que é conseqüência do pecado... É luz que ilumina as trevas da vida velha no pecado.

O Monograma de Christos foi aprovado no século III, primeiro ele apareceu como: I-X (Jesus Cristo) depois: X-P (Christos). Provavelmente foi usado primeiramente em Roma, Às vezes acrescentam-se outras letras gregas: o Alfa e o Ômega que representam: Cristo o Princípio e o Fim de todas as coisas.

13. CORDEIRO PASCAL

Símbolo do sacrifício. No antigo testamento o cordeiro foi encontrado entre os espinhos e sacrificado por Abraão no lugar de seu filho Isaac. O Sangue do Cordeiro sacrificado pelos Israelitas na noite da saída do Egito salvou-os da morte pela espada do Anjo exterminador. O cordeiro pascal que se sacrificava cada ano no Templo evocava não só a libertação, mas também o pacto que Deus tinha feito com o Seu povo: era promessa e figura do verdadeiro Cordeiro, Cristo, que Se ofereceria como Vítima no Sacrifício do Calvário, que lavaria na Cruz com o Seu Sangue as culpas de toda a humanidade. Cristo é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Jesus converteu-Se no Cordeiro Imaculado (Papa João Paulo II), que Se imolou com docilidade e mansidão absolutas para reparar as faltas dos homens, os seus crimes, as suas traições. Cristo é chamado Divino Cordeiro de Deus, a palavra cordeiro, referida a Ele, significa três coisas: mansidão de condição; pureza e inocência de vida; satisfação de sacrifício e de oferenda. Desde os primeiros tempos, a arte cristã representou Jesus Cristo, Deus e Homem, sob a figura do Cordeiro Pascal. Quando a iconografia O retrata recostado sobre o Livro da Vida, quer recordar um ensinamento fundamental da nossa fé: Jesus é Aquele que tira o pecado do mundo, Aquele que foi sacrificado e possuí todo o poder e sabedoria.

14.OVOS DE PÁSCOA

A Festa dos ovos remonta aos primórdios da humanidade. Nas comunidades primitivas, entre fenícios, caldeus, persas, hindus, etc. o ovo era considerado como o emblema do princípio de todas as coisas. O culto do ovo deu ensejo a cerimônias as mais diversas. Entre os hebreus, no repasto ritual de Páscoa, todos comiam um ovo cozido. Em razão do fenômeno da eclosão, o ovo simbolizava a fecundidade e o renascimento. Com a cristianização, na Europa, das festas e mitos pagãos, o ovo, portador de germe vital, tornou-se símbolo da Ressurreição de Cristo, o portador da verdadeira vida.   Os ovos, ritualmente bentos, foram chamados “Ovos de Páscoa” e sua cor, geralmente avermelhada, lembrava o Sangue derramado pelo Redentor. Com o passar dos tempos perdeu seu primitivo significado e passou-se a dar ovos pintados e fabricados de diferentes elementos, entre os quais predomina o chocolate. O Ovo de Páscoa, segundo a Tradição da Igreja, lembra o dia da Ressurreição de Cristo. Ele é um excelente símbolo da Páscoa. Por fora parece pedra, sem vida, duro, aparentemente morto, mas dentro contém a possibilidade da Vida Pujante, contém uma vida que surge repentinamente, feliz, que nasce para a Luz do Sol, destruindo as suas paredes. Assim, como o pintinho, pela própria força, após três semanas, irrompe de seu jazigo e sai do ovo cheio de vida. Simbolizam o Cristo Jesus que após três dias de permanência no Sepulcro,Ressuscitou, rebentou a pedra e saiu Vivo, com Vida Nova. Isto aconteceu na Noite de Páscoa. Na Europa, o tempo de Páscoa coincide com o início da primavera. É tempo também de por ovos para chocar. A vida nova que nasce, depois do frio do inverno, é sinal natural da “nova esperança” trazida por Cristo ao mundo.

15.COELHINHO DA PÁSCOA

O simbolismo relativo ao coelho teve origem na Alemanha baseado no fato de que, ao acabar o inverno nos países europeus, justamente pelos meses de março e abril, os primeiros animaizinhos a saírem de suas tocas para saudarem o belo sol da primavera são os coelhos. A coelhinha é um dos animaizinhos mais férteis. Em cada ninhada tem um grande número de filhotes. Tranqüila, feliz, cheia de carinho, ela agasalha e cuida com muito amor de seus coelhinhos. Os cristãos acharam que a coelha cheia de filhotes é um maravilhoso símbolo da Igreja, Comunidade de Jesus. A coelha simboliza a Igreja, que pela força de Cristo Ressuscitado é fecunda em reproduzir e espalhar por todo o mundo novos discípulos de Cristo, Filho de Deus.

Muitas crianças têm ânsia de milagres nas festas pascais e esperam que um animalzinho qualquer venha a depositar ovos de chocolate em sua casa. Na Alemanha e em outros países muitas crianças constroem seus ninhos e ficam esperando o coelhinho depositar neles os ovos. Lendo a historinha(ver em histórias para a catequese): ”O Menino Jesus, o Passarinho e o Coelhinho”, entenderão melhor.

16.GIRASSOL

Para a Páscoa escolhemos flores amarelas e brancas, que significam a realeza e a paz de Cristo. Entre elas, tem uma que se destaca: O GIRASSOL, ela é uma flor grande e bonita, mas também tem um significado muito especial por um costume só seu: ela acompanha o sol, sua corola (cabeça) gira de acordo com o sol, ela está sempre voltada para ele, caso contrário não consegue sobreviver. Por isso os cristãos escolheram o girassol para símbolo da Páscoa. Lendo a historinha (ver em histórias para a catequese) : “GIGI, o Girassol”, entenderão melhor.


COMUNHÃO DOS SANTOS